Como os Inseticidas podem aumentar a produtividade da sua lavoura

Percevejos marrom

O percevejo-marrom é conhecido por sugar a seiva dos ramos, hastes e vagens. Causa danos indiretos, como a transmissão de doenças que estimulam um distúrbio que afeta a maturação.

LER MAIS

Percevejo barriga-verde

Os prejuízos causados pelos danos do percevejo barriga-verde podem chegar a até 60% da produção, em casos mais severos é necessário fazer o replantio da área.

LER MAIS

Helicoverpa

Identificada nas lavouras em 2013, lagarta ataca frutos e botões florais da planta, comprometendo o desenvolvimento da cultura

LER MAIS

Spodoptera

Velhas conhecidas de quem produz, é hora de traçar o fim da linha para estas pragas que geram prejuízo e danos severos para a cultura

LER MAIS

Mosca Branca

A mosca-branca, uma das principais pragas agrícolas das regiões tropicais, tem afetado as lavouras de soja no Brasil de forma crescente nos últimos anos

LER MAIS

Ácaro

O ácaro normalmente ataca de 100 a 150 dias após o plantio, já em na fase final antes da colheita. As espécies branco e rajado são as formas mais comuns

LER MAIS

Bicudo-do-algodoeiro

Considerado a principal praga do algodão, capaz de destruir até 70% da lavoura em uma única safra, o bicudo-do-algodoeiro requer atenção do produtor

LER MAIS

Últimas notícias

Spodoptera frugiperda: dias contados para as lagartas do milho

SAIBA MAIS

Percevejo barriga-verde: tudo o que você precisa saber

SAIBA MAIS

Inseticida proporciona controle único no combate às pragas

SAIBA MAIS

Veja os Inseticidas que recomendamos para a sua lavoura

Inseticida para combate a lagartas de difícil controle. Protege as plantas nas primeiras horas após a aplicação. Indicado para uso nas culturas de soja, algodão e feijão.

Saiba mais

Indicado para plantios de soja, milho, cana-de-açúcar, algodão e trigo. Inseticida sistêmico de contato e ingestão. Controla várias pragas, como lagartas e percevejos.

Saiba mais

Minecto Pro é um inseticida foliar de amplo espectro e multicultura. É uma ferramenta valiosa, pelo seu espectro de controle e no manejo antirresistência.

Saiba mais

Inseticida de contato e ingestão. Indicado para utilização em culturas como soja, milho, cana-de-açúcar, algodão e trigo. Controla diferentes espécies de lagartas.

Saiba mais

Ampligo Pro é um inseticida de contato e ingestão eficaz no combate a Lagartas e Ácaros do Algodão.

Saiba mais

Inseticida e acaricida de contato e ingestão. Na soja, tem eficácia no manejo de lagartas e ácaros. No café, controla pragas como broca, bicho-mineiro e ácaro-vermelho.

Saiba mais

Inseticida sistêmico de contato e ingestão. Na cultura de café, controla pragas como bicho-mineiro e cigarra-do-cafeeiro. Ideal também para utilização em plantios de milho.

Saiba mais

Acaricida e inseticida de contato e ingestão. Para uso em culturas como soja, café e algodão. Combate pragas como mosca-branca e diferentes pulgões e ácaros.

Saiba mais

Sobre nossos Inseticidas

Inseticidas


A incidência de pragas nas lavouras é um fator preocupante para o agricultor, já que elas podem comprometer os bons resultados da safra, trazendo grandes perdas nas culturas. O que contribui para o controle preventivo é o monitoramento da cultura e a aplicação de inseticidas que protejam a planta com eficiência, livrando-a das ameaças.

O que são inseticidas


Inseticidas são compostos químicos utilizados para controlar os insetos nas lavouras. Esses produtos são aplicados direta ou indiretamente sobre as pragas que atacam e prejudicam as plantas, seja na fase de ovo, larva ou adultos. Quando utilizados em concentrações adequadas, seguindo as orientações determinadas na bula, eliminam as pragas, colaborando para o aumento da produtividade e da qualidade dos cultivos, além de contribuir para a sanidade da cultura ao longo de todo o ciclo.

Inseticidas e a importância de seu uso


Os insetos sugam a seiva, introduzem doenças na lavoura e se alimentam de partes da planta que são fundamentais para o desenvolvimento da cultura. Ao atacarem uma plantação, reduzem significativamente sua produtividade e, em infestações mais intensas, podem até mesmo acabar com toda a área, gerando inúmeros prejuízos.

APortanto, o manejo com as soluções adequadas e no período correto é um grande aliado no controle de pragas. A aplicação de inseticidas é essencial durante todo o ciclo da cultura, pois os ataques de pragas podem ter início desde o plantio até a pós-colheita.

Com isso, é preciso compreender quais são os insetos que ameaçam a lavoura para controlá-los de maneira assertiva.

Os inseticidas são uma forma eficiente de manejo de pragas porque possuem:
Ação rápida, ou seja, podem ser aplicados em situação de emergência;
Adaptabilidade a diferentes situações, como a fase da praga, tamanho da infestação, local do ataque, etc.
Ótimo custo-benefício.

Como escolher o inseticida ideal


É importante saber que existem formulações de inseticidas para os mais variados tipos de pragas. Por isso, saber identificar as principais ameaças que atacam a lavoura, os danos causados por elas e a forma como agem, ajuda na escolha dos métodos de controle mais eficientes.

Conhecer os detalhes sobre o inseticida, bem como sua formulação, é de suma importância na escolha do produto que será utilizado. Além disso, alternar a aplicação de insumos com diferentes modos de ação é essencial para que as pragas não se tornem resistentes a um determinado ingrediente ativo, ocasionando perda de eficiência do produto.

Modo de ação dos inseticidas


O modo de ação de um inseticida diz respeito a como o ingrediente ativo presente no produto atua no organismo da praga, ou seja, de que forma o alvo será controlado. Os modos de ação dos inseticidas podem ser de:
Contato sua ação se dá quando o inseticida entra em contato com o exoesqueleto do inseto, penetrando seu corpo e atuando sobre as terminações nervosas;
Fumigação o inseticida é inalado na forma de gás pelo inseto. O gás penetra através dos espiráculos e age sobre o sistema nervoso;
Ingestão quando a praga ingere uma parte da planta coberta pelo inseticida, o intestino do inseto absorve o ingrediente ativo do produto, que atinge o sistema nervoso, causando a sua morte;
Profundidade caracterizado por sua ação translaminar, é capaz de atravessar a superfície vegetal e atingir insetos do lado oposto, como sob uma folha ou dentro de um fruto e
Sistêmico quando aplicado sobre determinada área da planta, é capaz de ser absorvido e translocar-se com a seiva, através do sistema vascular, para todas as partes da planta.

Grupos químicos dos inseticidas


Outra forma de classificar os inseticidas é por meio do grupo químico ao qual o seu ingrediente ativo pertence. Alguns exemplos são:
Carbamatos - paralisa os nervos e músculos das pragas por meio da inibição da enzima acetilcolinesterase. Possuem baixa ação residual, mas sua atividade inseticida é considerada alta e com baixa toxicidade a longo prazo;
Inibidores da respiração celular - atuam nas mitocôndrias dos insetos e são muito utilizados no controle de pragas em geral, principalmente nos acaricidas. Possuem uma alta eficiência de controle, mas a ação do ingrediente ativo no alvo é lenta;
Organofosforados - assim como os carbamatos, também são inibidores da enzima acetilcolinesterase, atuando nos tecidos nervoso e muscular das pragas. São muito utilizados no controle de insetos sugadores e que causam desfolha e danos às raízes;
Piretróides - paralisa os nervos e músculos, bloqueando os canais de sódio nos insetos. Possui baixa toxicidade e alta eficiência de controle, sendo necessárias doses menores de ingrediente ativo;
Reguladores de crescimento - inibem a troca de ecdise (exoesqueleto) do inseto e a produção de quitina, paralisando o crescimento da praga. Por conta dessa característica, são eficientes somente em algumas fases de vida dos insetos.

Principais pragas combatidas


Os inseticidas são indispensáveis para o controle de lagartas, percevejos, pulgões, moscas, ácaros, besouros e uma variedade de insetos que se alimentam das plantas, reduzindo a produtividade e a qualidade das lavouras.

Mas é preciso ficar atento, pois cada cultura tem seus inseticidas registrados e autorizados para aplicação. Isso não impede que um mesmo produto seja registrado para diferentes culturas, especialmente na produção de grãos, onde uma mesma praga costuma atacar mais de um alimento. Além disso, um mesmo inseticida é capaz de controlar diferentes espécies de pragas.

Inseticidas Syngenta: aliados do agricultor


A Syngenta desenvolveu um portfólio completo com inseticidas de alta tecnologia para o controle de um amplo espectro de pragas em vários cultivos para extrair o máximo da sua lavoura. Abaixo, você conhece um pouco mais sobre alguns deles:
Proclaim
Entre as principais pragas que atacam a soja estão as lagartas de difícil controle, que podem causar perdas de 50% na produtividade e, em casos extremos, podem inviabilizar todo a lavoura. Para combatê-las, o inseticida Proclaim traz uma rápida ação de choque, sendo eficaz em todos os estádios de desenvolvimento da praga e capaz de proteger a folha por muito mais tempo.
Engeo Pleno S
É o produto que promove o melhor controle de percevejos, que são consideradas as pragas de maior risco para a soja no Brasil. Por serem insetos sugadores, eles danificam as estruturas da planta, injetando toxinas que podem causar inúmeros problemas para a cultura. Engeo Pleno S é um inseticida sistêmico, com excelente efeito de choque e residual, sem igual e exclusiva tecnologia Zeon, que controla a liberação do ingrediente ativo e faz com que ele fique mais tempo aderido às plantas.
Ampligo
Para ajudar o agricultor a agir rápido no controle de pragas e evitar perdas na cultura do milho, a Syngenta desenvolveu Ampligo, um inseticida de contato e ingestão de alta eficácia no controle de lagartas do gênero Spodoptera e outras espécies que impactam a produtividade da lavoura.
Já na cultura da cana-de-açúcar, Ampligo promove uma rápida ação de controle da broca da cana (Diatraea saccharalis), a principal praga do canavial. O inseto é capaz de causar falhas na germinação, interferindo na produção e no teor de açúcar dos colmos, tombamento da cultura e outros danos. Com seus dois princípios ativos, Ampligo ainda é eficaz no manejo antirresistência.
Voliam Targo
O produto foi desenvolvido para combater, ao mesmo tempo, a broca-do-café (Hypotenemus hampei), o bicho-mineiro (Leucoptera coffeella) e o ácaro-vermelho (Oligonychus ilicis), capazes de comprometer a rentabilidade do cafezal e que, antes, demandavam produtos distintos para seu controle. A combinação dos princípios ativos faz de Voliam Targo um poderoso aliado do cafeicultor na manutenção de lavouras saudáveis e produtivas.
Durivo
O bicho-mineiro, uma larva de mariposa que suga as folhas do cafezal para se alimentar, se destaca por causar grandes estragos na lavoura, colocando em risco a produtividade da safra. A fórmula de Durivo combina dois princípios ativos, Tiametoxam e Clorantraniliprole, que auxiliam no combate às pragas, maximizando o vigor das plantas e aumentando a produtividade e rentabilidade.
Minecto Pro
O inseticida foliar de amplo espectro e multicultura é uma ferramenta valiosa. Penetrando rapidamente na folha por ação translaminar, ele paralisa rapidamente os danos causados pelos insetos que comprometem a sanidade da lavoura, entre eles a mosca-branca.
Considerada uma solução coringa, Minecto Pro combina dois ingredientes ativos - o Ciantraniliprole e a Abamectina - com diferentes mecanismos, oferecendo amplo espectro e controle superior para as mais diversas pragas.

A Syngenta possui um amplo portfólio de produtos que envolve inseticidas, fungicidas, herbicidas e tratamento de sementes de alta qualidade para todos os estádios das mais variadas culturas.