Uso de biotecnologias e escolha assertiva de cultivares de soja contribuem para o sucesso do plantio

Portfolio da Syngenta reúne atualmente o que há de mais moderno no mercado em soluções de tecnologia em sementes e deverá receber, para a próxima safra, opções ainda mais inovadoras para o controle de pragas e manejo de plantas daninhas

30/06/2020 12:27:30

Atualizado:

30/06/2020 13:12:41

O dia a dia do sojicultor é permeado por uma série de desafios que exigem cautela e atenção em todos os detalhes. Além de seguir todas as boas práticas do manejo inteligente para fazer o melhor controle de pragas, doenças e plantas daninhas, bem como minimizar impactos de condições climáticas extremas, o cuidado com as sementes é um dos pontos mais determinantes para a saúde e o sucesso da lavoura.

Por meio dos avanços da biotecnologia na agricultura nas últimas décadas – principalmente quanto à questão do melhoramento genético de sementes – os produtores de soja podem contar hoje com uma gama de soluções cada vez mais inovadoras para o cultivo da cultura mais importante, a soja. Não à toa, estas inovações se tornaram grandes conhecidas do sojicultor brasileiro ao promoverem a geração de plantas mais resistentes às adversidades que estão sujeitas ao longo do plantio, que costumam causar impactos diretos na produtividade.

Tecnologia e inovação

Em breve, duas novas soluções de biotecnologia para sementes de soja integrarão o portfolio da Syngenta e estarão à disposição dos produtores de todo o país e que serão comercializadas sob as marcas de acesso ao mercado.

“Nosso portfólio reúne, atualmente, desde a soja convencional, passando pela primeira versão da biotecnologia, que é a soja RR – Roundup Ready, e a segunda versão, com a Intacta. Ainda este ano, deveremos ter cultivares com duas novas tecnologias que são a Intacta 2 Xtend e a Enlist Conkesta E3”, destaca o Gerente de Desenvolvimento de Mercado para Licenciamento na Syngenta, José Gomes. “Buscamos hoje oferecer ao produtor o que há de melhor de tecnologia no mercado e somos uma das poucas empresas que reúnem todas as opções de biotecnologia disponível para sementes em um mesmo portfólio”, ressalta.

A biotecnologia Enlist Conkesta E3 oferecerá resistência contra as principais lagartas da cultura da soja e também será uma evolução no controle de plantas daninhas pois, além de ser tolerante ao glifosato, também será tolerante ao herbicida 2,4D. Já a opção com a tecnologia Intacta 2 Xtend, além de ser resistente a duas mais espécies de lagartas do que sua versão anterior e tolerantes ao glifosato, também será tolerante ao herbicida dicamba, o que promoverá um combate mais eficaz às plantas daninhas de difícil controle na lavoura de soja.

Cuidados e benefícios

Ao adquirir as sementes para o cultivo, é importante que o agricultor conte com um parceiro de negócios confiável e que ele tenha ciência da origem do produto. José Gomes, da Syngenta, ressalta para a importância de se optar sempre por sementes certificadas e ter ciência da origem da cultivar para evitar prejuízos futuros.

“Também é importante que, no momento da escolha, ele confira o laudo de qualidade dessa semente, onde constam informações sobre os resultados de germinação e de vigor”, explica. ”Ter esses cuidados será determinante para que o agricultor não tenha uma frustração durante a safra, algo que vai impactar totalmente sua rentabilidade final”, alerta.

Além dos benefícios diretos como o melhor controle de plantas daninhas e das pragas na lavoura de soja, os avanços em biotecnologia aliados ao melhoramento genético promovem outras vantagens ao agricultor. Entre elas, a otimização de seu tempo no trabalho do campo e a economia de defensivos agrícolas – uma vez que a cultura convencional da soja exige mais aplicações de produtos. “Desde que chegaram as biotecnologias, o agricultor pôde reduzir muito a quantidade de aplicações de produtos fitossanitários , o que também diminuiu bastante os seus riscos de exposição a estes produtos”, observa o especialista.

Atuação de Norte ao Sul

Considerar as características do plantio de cada região é fundamental para o desenvolvimento destas cultivares para que elas possam atender às necessidades dos produtores de forma eficiente. Para isso, a Syngenta mantém equipes de profissionais especialistas em sementes distribuídas por todas as regiões do Brasil, desde o Rio Grande do Sul até o Pará, focadas na avaliação e pesquisa sobre os desafios dessas regiões.

Além destes especialistas, a Syngenta possui uma equipe formada por agrônomos de desenvolvimento de mercado, atuando ao lado dos produtores que estão na linha de frente da lavoura, prestando-lhes consultoria sobre as opções certas para cada plantio. É por meio dessa aproximação, segundo Gomes, que os especialistas da empresa fazem recomendações assertivas sobre as cultivares que devem ser utilizadas e as tecnologias que se encaixam melhor para cada caso.

“Nossas sementes são desenvolvidas pensando em cada uma das cinco macrorregiões brasileiras, onde são consideradas as características edafoclimáticas, realidade local, o ciclo do plantio, se também terá uma segunda safra, entre outras questões, para que as cultivares tenham uma performance ideal e atendam às necessidades e expectativas do produtor. Ao identificar estas questões, podemos oferecer a ele a melhor solução para o seu negócio”, comenta.

Por meio das novas soluções em seu portfólio, a Syngenta busca disponibilizar aos sojicultores de todo o país as melhores cultivares com as biotecnologias disponíveis e, assim, contribuir para que sejam alcançados níveis mais altos de produtividade com segurança. “Nosso objetivo é disponibilizar um menu robusto com o que há de mais moderno em tecnologia, com todo apoio para que o agricultor faça a melhor escolha e que o produto expresse sempre o seu melhor potencial”, completa o especialista.

LEIA MAIS

NOTÍCIAS

Vários temas são fundamentais para a manutenção da produtividade agrícola. Entre eles, o manejo de pragas, doenças e daninhas e a eficiência de produtos. O Portal Syngenta prepara, constantemente, conteúdos jornalísticos realizados a partir de fontes de informação como engenheiros agrônomos e produtores rurais. Veja ao lado uma seleção dessas reportagens. Boa navegação!