.

Os perigos da ramulária e do bicudo na cultura do algodão

Doença e praga são dois dos principais problemas que atacam as lavouras de algodão, prejudicando a produtividade

14/02/2020 20:12:19

Atualizado:

19/02/2020 16:35:33

O algodão vem sendo cultivado há tempos no Brasil e está dentro das culturas de maior importância no agronegócio nacional.

Hoje, somos o 5º maior produtor de algodão do mundo, com uma colheita estimada em 2,7 milhões de toneladas de pluma por safra, e, de sua planta, são aproveitados o caroço (semente) e a fibra. Além disso, também somos o seu 2º maior exportador global.

Assim como qualquer outra cultura, o algodão está suscetível a ameaças que podem prejudicar o ciclo produtivo. E, dentre esses perigos, destacam-se a ramulária e o bicudo.

A mancha de ramulária é uma doença causada pelo fungo Ramularia areola e é considerada hoje a doença mais importante do algodoeiro pois, além de extremamente nociva à cultura - pode provocar uma redução de até 35% na produtividade, ela está presente em praticamente todas as regiões produtoras de algodão do mundo.

Seus sintomas iniciais são de difícil diagnose e observados nas folhas mais novas, na parte interior, através de manchas azuladas. Conforme progridem, as manchas tornam-se angulosas e de coloração branca ou amarelada, tendo um aspecto farináceo.

Já o bicudo (Anthonomus grandis) é um besouro de coloração cinzenta e considerado a principal praga dos algodoeiros nas Américas. Caso não controlado, pode causar até 70% de perdas nas produções em função da sua alta capacidade de reprodução e alto poder destrutivo.

Os primeiros adultos migram para a cultura por conta de seu florescimento, sendo atraídos pelo cheiro, e atacam primeiro os botões florais. Na sequência eles atacam as flores, que ficam com o aspecto de balão devido à abertura anormal das pétalas.

É importante destacar também que os períodos chuvosos favorecem o desenvolvimento dos bicudos.

Em ambos os casos, é fundamental um planejamento assertivo para controle. Utilizar fungicidas e inseticidas de alta performance e rotacionar ingredientes ativos e modos de ação, são práticas que devem ser observadas pois melhoram as chances de combater a ramulária e o bicudo, além de diminuir a quantidade de aplicações e de gastos com defensivos não tão eficientes no controle.

Produção e Parceria: DNAgro (Canal Rural)

LEIA MAIS

NOTÍCIAS

Vários temas são fundamentais para a manutenção da produtividade agrícola. Entre eles, o manejo de pragas, doenças e daninhas e a eficiência de produtos. O Portal Syngenta prepara, constantemente, conteúdos jornalísticos realizados a partir de fontes de informação como engenheiros agrônomos e produtores rurais. Veja ao lado uma seleção dessas reportagens. Boa navegação!