.

Não conte com a sorte no controle de percevejos

É o momento de escolher as ferramentas mais eficazes para realizar o controle destas pragas e preservar o potencial produtivo da lavoura

29/07/2020 17:18:15

Atualizado:

10/08/2020 15:48:15

nao-conte-com-a-sorte-no-controle-de-percevejos

A ação dos percevejos pode gerar perdas significativas no rendimento e na qualidade da soja, contribuindo para a redução do vetor de óleo da planta, aumentando a porcentagem de ácidos graxos livres e proteínas nas sementes e a indução de distúrbios fisiológicos. Investir em um inseticida que ofereça logo nas primeiras aplicações controle superior a 86% nos resultados e que se destaca frente a outros produtos do mercado deve fazer parte do plano de manejo do agricultor.

Os percevejos são insetos sugadores considerados, em vários países, como uma das ameaças de maior importância para a cultura da soja, em especial o percevejo-marrom (Euschistus heros), o percevejo-verde-pequeno (Piezodorus guildinii) e o percevejo-verde (Nezara viridula), que são os mais comuns nas lavouras do Brasil.

A maior incidência dos percevejos ocorre no período do início da frutificação, o ponto de acúmulo máximo de matéria seca no grão e de maior sensibilidade da soja ao ataque.

O dano acontece quando eles se alimentam, inserindo estiletes em diferentes partes da estrutura da planta, em especial nas vagens, prejudicando diretamente o desenvolvimento e qualidade do grão de soja, acarretando uma perda de produtividade da lavoura.

Reconhecer estes inimigos na lavoura é essencial para controlá-los desde o início e evitar prejuízos. Com a tecnologia e os resultados alcançados a partir da realização de pesquisas atreladas à inovação, os sojicultores têm ferramentas que os ajudam na produtividade da cultura ao longo de seu desenvolvimento, a exemplo de Engeo Pleno S, da Syngenta, que se destaca como a melhor ferramenta para as primeiras aplicações, com superioridade comprovada.

O controle a partir do uso de inseticidas é um aliado do manejo de percevejos na lavoura. E a Syngenta, ciente de seu papel no desenvolvimento de soluções para todos os momentos, conta com a ação de Engeo Pleno S para auxiliar o sojicultor no campo, a fim de extrair sempre o máximo da lavoura.

ABC do percevejo-marrom

 

O percevejo-marrom (Euschistus heros) é uma espécie que gera danos significativos para quem produz e deve ser identificado e combatido com assertividade.

Esta espécie de percevejo pode chegar na lavoura no período de entressafra e sobreviver se alimentando de plantas daninhas. Sobrevive aos períodos de temperaturas baixas realizando a retenção temporária do seu desenvolvimento, até que encontre outra fonte de alimento para poder se desenvolver.

O percevejo-marrom era uma espécie pouco vista nas lavouras de soja até os anos 1970, mas, desde então, tem aparecido com maior frequência, e se tornou uma praga primária para a cultura.

nao-conte-com-a-sorte-no-controle-de-percevejos

Ele vive e se desenvolve com mais facilidade em regiões quentes. Com duração de seis dias até a eclosão, os ovos de cor amarela são colocados nas folhas e nas vagens da soja e, com o passar dos dias, a cor amarelada vai se transformando em rosa. A fase de ninfa dura entre 15 e 20 dias e, na fase adulta, chega a 11 mm de comprimento, de coloração marrom uniforme e abdome verde. O percevejo pode viver até 300 dias, sendo que a longevidade mais comum é por volta de 116.

O percevejo-marrom inicia a alimentação a partir do segundo ínstar de desenvolvimento, e somente após o terceiro começa a causar danos na cultura da soja, podendo completar três gerações dependendo das condições ambientais e da disponibilidade de alimento na área.

Os danos causados pelo percevejo podem se restringir aos ramos e hastes ou gerar ainda mais prejuízo, quando atacam as vagens em formação, o que resulta nos conhecidos e sempre temidos "grãos chochos", ou seja, os grãos que cresceram com má formação.

A consequência do ataque é a redução da produtividade, além do aumento da umidade nos grãos, o que gera muitos problemas no período de comercialização do produto.

Além do percevejo-marrom, outras espécies combatidas por Engeo Pleno S e que não precisam mais ser um problema na produtividade e sanidade da lavoura são:

  • Percevejo-verde: mais comum no início do ciclo, esta espécie de percevejo se alimenta da vagem da soja. Inseto polífago, pode sobreviver por um longo período e se desenvolver de acordo com as opções de alimentos disponíveis.

Abrigadas na parte inferior das folhas, as ninfas, quando eclodem, tem aparência escura, com manchas claras na parte superior do corpo, e permanecem juntas até o próximo ínstar, quando passarão a se alimentar dos grãos da oleaginosa. O ataque da espécie compromete até 60% da produção.

nao-conte-com-a-sorte-no-controle-de-percevejos

  • Percevejo-verde-pequeno: esta espécie possui incidência em todas as áreas produtoras do Brasil e é considerada uma das mais prejudiciais para a lavoura de soja. Seu ataque ocorre principalmente no estádio de floração da planta, comprometendo a qualidade das sementes e causando a retenção foliar.

O resultado disso é percebido pela redução na qualidade dos grãos, através da diminuição do potencial germinativo da cultura. Entre os impactos causados por esses percevejos na lavoura estão perdas significativas no rendimento, na qualidade e no potencial germinativo da soja.

nao-conte-com-a-sorte-no-controle-de-percevejos

 

Nunca foi sorte, sempre foi Engeo Pleno S

Quando se trata da sanidade da planta, boa rentabilidade e qualidade do grão, o manejo eficaz é extremamente importante e a escolha das melhores soluções para que ele seja realizado precisa ser levada em consideração.

A indústria de defensivos agrícolas desempenha um papel extremamente importante nos números tão positivos que a soja alcançou no Brasil e no mundo, e isso não muda quando se fala sobre o combate ao ataque de percevejos.

Para ajudar o sojicultor a extrair o máximo da lavoura, Engeo Pleno S é o inseticida que proporciona o manejo de percevejos na lavoura de forma assertiva, controlando ninfas e adultos. Logo nas primeiras horas depois da aplicação, Engeo Pleno S age com alto índice de mortalidade dos percevejos, com ação superior aos dos já conhecidos no mercado.

nao-conte-com-a-sorte-no-controle-de-percevejos

Essa ação superior é comprovada a partir dos resultados obtidos por quem produz e já utiliza a solução da Syngenta.

Estudos apontam que durante a safra de soja 19/20 Engeo Pleno S proporcionou controle dos percevejos de 86%, já no primeiro dia após a primeira aplicação, ante 65,7% e 45% apresentados pelos concorrentes.

Engeo Pleno S apresenta performance superior, por ter a exclusiva tecnologia ZEON como parte da sua formulação. Ela funciona a partir da liberação gradual do produto na planta através das microcápsulas e este processo permite, além de maior efeito choque, resultados superiores no controle residual.

Com a Variante S, a tecnologia Zeon ocorre em três etapas na prática:

  • Rompimento imediato das cápsulas - responsável pelo efeito de choque, controle imediato e paralisação do dano;
  • Liberação por difusão - que tem como consequência o efeito residual prolongado, controle de ninfas e proteção da produtividade e
  • Cápsulas de diâmetro reduzido - completando a ação com alta aderência às folhas, baixa lavagem pela chuva e aumento da superfície de contato.

Diante de resultados tão positivos para o agronegócio nacional, como foi a safra 2019/2020 da soja, é importante reconhecer o papel e a importância do manejo de pragas feito de forma correta e com as melhores ferramentas, sem desconsiderar pontos básicos, como o monitoramento, que é o primeiro passo para a realização do manejo eficaz dos percevejos.

Como foi a safra 19/20? O que esperar da safra 2020/21? 


A partir dele, é possível identificar a ação destas pragas desde o início da infestação e encontrar o momento propício para intervir, extraindo o melhor do produto que vai combatê-los, zelando pela sanidade da lavoura.

Visando minimizar os danos causados por percevejos que atingem as plantações de soja, a aplicação de defensivos precisa ser feita de forma adequada e no momento certo. Engeo Pleno S, parte do portfólio completo da Syngenta, é a melhor ferramenta para as primeiras aplicações, resultado do investimento em tecnologia e das características que diferenciam o produto dos demais oferecidos no mercado. 

Com investimento em pesquisa e tecnologia e com cada vez mais inovação, a Syngenta está conectada ao produtor em todos os estádios da lavoura, oferecendo soluções assertivas, que combinam qualidade e bom custo-benefício. Afinal, nunca foi sorte, sempre foi Engeo Pleno S.

LEIA MAIS

NOTÍCIAS

Vários temas são fundamentais para a manutenção da produtividade agrícola. Entre eles, o manejo de pragas, doenças e daninhas e a eficiência de produtos. O Portal Syngenta prepara, constantemente, conteúdos jornalísticos realizados a partir de fontes de informação como engenheiros agrônomos e produtores rurais. Veja ao lado uma seleção dessas reportagens. Boa navegação!