Milho: como eliminar os percevejos da lavoura

Esses insetos sugadores são mais um dos problemas enfrentados pelos produtores e podem ser combatidos com inseticida de rápido efeito de choque e residual prolongado

08/06/2020 14:42:59

Atualizado:

18/06/2020 21:35:39

Percevejo-barriga-verde causa danos na lavoura de milho por conta da alimentação dos adultos e ninfas

Importante para o agronegócio do Brasil em especial pelas diversas formas de sua utilização, indo desde a alimentação animal até a indústria de alta tecnologia, os resultados positivos na cultura do milho nos últimos anos são provenientes dos investimentos em práticas de manejo assertivo.

A forma de proteger a lavoura, mantendo a sanidade da planta e a qualidade dos grãos que serão colhidos, impactam diretamente na produtividade.

Mesmo assim, em muitas situações, é necessário combater ameaças mais resistentes e que comprometem o desenvolvimento da cultura. É o caso dos percevejos, pragas-chave, que causam danos econômicos significativos e podem atacar o milho ao longo de todo o ciclo.

Esses insetos causam grande impacto na qualidade dos grãos e no rendimento, já que sugam a seiva da planta, que estagna o crescimento.

Prevenção ao ataque dos percevejos

Se controlados no início do ataque, os prejuízos causados pelos percevejos podem comprometer até 30% da lavoura. No entanto, quando não ocorre o controle imediato, as perdas podem ser totais exigindo, em alguns casos, até mesmo o replantio da cultura.

Devido ao seu comportamento, a identificação desses insetos na lavoura é difícil, já que o percevejo pode sobreviver nos restos culturais da safra.

Entre as espécies mais comuns na cultura de milho, estão:

  • O percevejo-barriga-verde (Dichelops furcatus), que causa danos na lavoura por conta da alimentação dos adultos e ninfas, que consomem as plântulas. Durante o ataque, eles fazem as folhas centrais murcharem e secarem completamente. Além disso, promovem alterações fisiológicas na planta, interferindo no limbo foliar, causando até o super perfilhamento;
  • O percevejo-marrom (Euschistus heros), que pode atacar a lavoura no período de entressafra e que causa danos em especial entre os estágios V1 e V5 do milho, momento em que o controle é crucial e determinante para a dimensão que os prejuízos podem alcançar.

Para que os percevejos deixem de ser um dos principais problemas da lavoura, a Syngenta desenvolveu uma ferramenta de manejo eficaz: Engeo Pleno S. Com tecnologia testada e comprovada, o produto proporciona a produtividade da lavoura e combate a ação dos inimigos do milho.

Com tecnologia Zeon, que possibilita o rápido controle de insetos e o longo controle residual,

Engeo Pleno S possui amplo espectro e realiza o controle eficaz das pragas sugadoras do milho. Estudos atestam seu desempenho superior em relação a outros produtos do mercado, com o combate de percevejos em menor tempo.

Com efeito de choque e residual prolongado ainda melhores, o inseticida da Syngenta promove excelente controle de ninfas e adultos, sendo a ferramenta mais indicada para as primeiras aplicações.

Não aposte na sorte para uma lavoura bem sucedida. Tenha resultados efetivos com Engeo Pleno S, que faz parte do portfólio completo de soluções da Syngenta para a máxima produtividade da lavoura. Afinal, a empresa se mantém ao lado do produtor, oferecendo suporte para os diferentes momentos da cultura e contribuindo para um manejo de pragas mais eficiente.

Syngenta e você: conectados dentro e fora do campo.

LEIA MAIS

NOTÍCIAS

Vários temas são fundamentais para a manutenção da produtividade agrícola. Entre eles, o manejo de pragas, doenças e daninhas e a eficiência de produtos. O Portal Syngenta prepara, constantemente, conteúdos jornalísticos realizados a partir de fontes de informação como engenheiros agrônomos e produtores rurais. Veja ao lado uma seleção dessas reportagens. Boa navegação!