Ferrugem asiática: o que você deve saber sobre ela

Doença é apontada como a que mais prejuízos causa à cultura de soja, podendo levar a perdas de até 90% da produção

05/05/2020 20:48:17

Ferrugem asiática é doença que mais prejuízos causa à cultura de soja

A incidência de fungos é motivo de preocupação para os produtores de soja. Esse microrganismo, capaz de sobreviver no solo, sementes e restos de cultura contaminados, compromete o desenvolvimento da lavoura, diminuindo a produtividade e, consequentemente, gerando prejuízos. Entre os que mais causam preocupação está o Phakopsora pachyrhizi, causador da ferrugem asiática.

Considerada a doença que mais danos causa à lavoura, podendo levar a perdas de até 90% da produção, a ferrugem asiática é de fácil disseminação, estando presente em todo o Brasil.

Embora possa ser observado em qualquer estádio de desenvolvimento da cultura, o fungo aparece, geralmente, na fase final, levando à perda precoce das folhas e comprometendo a formação completa dos grãos. 

Além do manejo correto da lavoura, as aplicações preventivas estão entre as ações de combate mais indicadas.

Identificação e sintomas da ferrugem asiática da soja

A ferrugem asiática é causada por um fungo considerado biotrófico, ou seja, só sobrevive e se reproduz em plantas vivas.

Com uma ampla gama de hospedeiros, podendo infectar cerca de 150 espécies de leguminosas, o Phakopsora pachyrhizi foi identificado no continente americano pela primeira vez em 2001, no Paraguai.

Meses depois, foi constatado no Brasil e hoje, devido à facilidade de disseminação pelo vento, está espalhado por todas as regiões produtoras de soja.

O fungo se desenvolve em lavouras com mais disponibilidade de água nas folhas, sendo comum ter uma incidência maior em safras em que as chuvas são mais intensas.

Na safra 2019/20, por exemplo, o atraso das chuvas e, consequentemente, da semeadura da soja, prolongou o período de vazio sanitário, fator que contribuiu positivamente para a diminuição do inóculo da doença.

Como identificá-la:

Ao se manifestar na soja, a ferrugem asiática, tem coloração de esporo mais clara, o que dificulta sua identificação no início.

A doença é identificada geralmente a partir do fechamento do dossel, que proporciona condições favoráveis à propagação do fungo, como a alta umidade e proteção contra radiação ultravioleta para os esporos.

Na fase inicial, a doença se caracteriza por pequenos pontos, com coloração mais escura que o tecido sadio, de coloração esverdeada a cinza-esverdeada, com correspondente protuberância (urédia), na página inferior da folha.

Com formato irregular e delimitadas pelos vasos da folha, essas lesões adquirem uma coloração de castanha a marrom, semelhantes à ferrugem, no verso da folha.

As urédias abrem-se em um poro, expelindo os esporos que se acumulam e são carregados pelo vento.

Com o ataque do fungo, as folhas ficam amareladas e pode ocorrer a desfolha, comprometendo o enchimento das vagens, a qualidade e a quantidade dos grãos.

Além da umidade, a infecção do fungo é favorecida em ambientes com temperatura entre 15° e 28°C.

Aplicações preventivas ajudam a combater a doença

O monitoramento da lavoura periodicamente é uma prática extremamente importante para o controle da ferrugem asiática. Sua identificação logo no início e a adoção imediata de estratégias de combate contribuem para reduzir as perdas.

Além dos cuidados com as plantas de soja da lavoura, o produtor rural deve se atentar também às tigueras, consideradas importantes hospedeiras para a doença, podendo servir de fonte de inóculo para novos plantios.

Como a ferrugem asiática é de fácil e rápida propagação, o investimento em soluções que contribuam para proteção preventiva também é indicado. Além de incentivar o manejo consciente – com adoção de vazio sanitário e utilização de cultivares precoces -, a Syngenta oferece soluções eficientes para combater a ferrugem asiática, como o Elatus®, fungicida preventivo indicado para o complexo de doenças da soja.

Com ação da carboxamida e da estrobilurina em sua composição, ele fornece a “primeira dose” de prevenção para a lavoura.

Dessa maneira, a plantação fica protegida contra as principais doenças que atacam a soja, favorecendo o desenvolvimento de plantas mais sadias.

A Syngenta conta com uma série de soluções para apoiar o produtor para que aumente a produtividade e rentabilidade de sua lavoura. Para saber mais, acesse o portal e confira os produtos que farão a diferença em sua produção.

Syngenta e você: conectados dentro e fora do campo.

LEIA MAIS

NOTÍCIAS

Vários temas são fundamentais para a manutenção da produtividade agrícola. Entre eles, o manejo de pragas, doenças e daninhas e a eficiência de produtos. O Portal Syngenta prepara, constantemente, conteúdos jornalísticos realizados a partir de fontes de informação como engenheiros agrônomos e produtores rurais. Veja ao lado uma seleção dessas reportagens. Boa navegação!