.

Cuidados no manuseio de defensivos garantem a segurança do trabalhador

O agricultor deve estar atento aos riscos durante a preparação, aplicação e descarte de defensivos. Para evitar exposições e contaminações acidentais, é fundamental seguir à risca as orientações presentes na bula de cada produto

06/02/2020 19:04:19

Atualizado:

04/05/2020 08:25:08

Por conta da composição química dos defensivos agrícolas, todo o processo de utilização desses produtos deve ser de total cuidado e atenção. O consumidor deve estar sempre atento aos riscos de exposição durante a preparação, aplicação e descarte destes produtos, a fim de evitar contaminações acidentais.

Há três principais formas de contato e de exposição a defensivos que podem ocorrer de forma acidental: pelas vias dérmica, inalatória ou oral. O primeiro caso pode ocorrer caso o produto caia na pele; o segundo, se o produto for inalado; e a contaminação oral, caso haja uma ingestão – por exemplo, se a pessoa colocar a mão no produto e, em seguida, na boca.

O Head of Human Safety LATAM da Syngenta, Rogério Rodrigues, destaca alguns dos momentos em que o agricultor deve estar atento ao risco de exposição em meio a sua rotina de trabalho. “No momento em que ele preparar a calda, carregar o equipamento de aplicação e aplicar o produto, ele precisa utilizar os EPIs (equipamentos de proteção individual) recomendados em bula para evitar qualquer tipo de contaminação”, explica o especialista. Outro momento de atenção é após a aplicação do produto na lavoura. “Mesmo que ele faça o procedimento anterior com toda a segurança, se ele retornar ao local da aplicação em um intervalo de tempo inferior ao recomendado na bula, há o risco de ocorrer algum tipo de contaminação”, alerta.

Para que todo o processo de utilização de um defensivo seja feito de modo seguro, é essencial que o agricultor siga uma série de boas práticas agrícolas. As principais são: ler sempre o rótulo e a bula com atenção, fazer a higiene necessária, usar a proteção devida e exercer toda a prática com cautela. É essencial que ele respeite as regras de como abrir, misturar, abastecer o equipamento, aplicar o produto e descartar a embalagem, e tenha em mente que cada produto tem suas particularidades. Portanto, é necessário seguir à risca as orientações da bula de cada defensivo que será usado.

Todas as regras para proteção dos agricultores são determinadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e devem estar dispostas nas bulas dos defensivos. Algumas das principais orientações são:

- Não comer, beber ou fumar durante o manuseio e a aplicação do produto;

- Não transportar o produto juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas;

- Não manusear ou aplicar o produto sem os EPIs recomendados;

- Não utilizar equipamentos com vazamentos ou defeitos e não desentupir bicos, orifícios e válvulas com a boca;

- Não utilizar EPIs danificados, úmidos, vencidos ou com vida útil fora da especificação; e

- Não aplicar o produto perto de escolas, residências e outros locais de permanência de pessoas e de áreas de criação de animais.

Atenção aos EPIs

No momento do manuseio e da aplicação de um defensivo, é imprescindível que o trabalhador sempre utilize o EPI indicado. Ele deve verificar as orientações presentes no rótulo e na bula a respeito do que vestir ao realizar as misturas, ao aplicá-las, e ao limpar embalagens vazias e equipamentos de pulverização.

Cuidados no armazenamento

A Anvisa também determina uma série de regras para que não haja exposição em tarefas que vão além da aplicação do defensivo na lavoura. Entre elas, o de manter o produto adequadamente fechado em sua embalagem original, em local trancado, longe do alcance de crianças e de animais.

Primeiros socorros

No caso de ocorrer contato acidental da pessoa com o produto, seja por contato dérmico, inalatório ou oral, é necessário seguir as orientações descritas na bula e procurar rapidamente um serviço de emergência, levando o rótulo, a bula ou o receituário agronômico do produto. Como as recomendações podem variar conforme o tipo de formulação de cada defensivo, é ideal que se observe o que está na bula do produto específico que está sendo utilizado.

LEIA MAIS

NOTÍCIAS

Vários temas são fundamentais para a manutenção da produtividade agrícola. Entre eles, o manejo de pragas, doenças e daninhas e a eficiência de produtos. O Portal Syngenta prepara, constantemente, conteúdos jornalísticos realizados a partir de fontes de informação como engenheiros agrônomos e produtores rurais. Veja ao lado uma seleção dessas reportagens. Boa navegação!