.

Cinco coisas que você precisa saber sobre o agronegócio

Responsável pela alimentação, e também vestuário e energia, entre outros, setor movimenta a economia mundial

19/05/2020 16:10:04

Agronegócio movimenta a economia

O agro move o mundo. É dele que vem, literalmente, a energia para conseguirmos cumprir com nossas tarefas. É do campo que vem os alimentos, as fibras para o vestuário, a cana-de-açúcar que será transformada em combustível e inúmeros outros produtos que nos mantém ativos.

Na prática, isso significa que o agronegócio é responsável não só pelo que acaba em sua mesa, mas por toda uma cadeia de produção que envolve agricultores, fabricantes, transportadores e comerciantes até chegar a você, consumidor.

E você já parou para pensar em “como o agro nos move?” Você pode até não perceber, mas o agronegócio responde por uma fatia importante da economia brasileira, estimulando e contribuindo para o crescimento sustentável do país.

Como o agro nos move?

O Brasil é, hoje, um dos maiores produtores de alimento do mundo, com potencial para estar, em breve, no topo do ranking.

Cientes de nosso papel de apoiar os produtores rurais para que extraiam sempre o melhor de suas lavouras e conscientes também do nosso dever de manter a população bem informada, a Syngenta apresenta 5 coisas que você precisa saber sobre o agronegócio!

Ao saber um pouco mais do que tem por trás desse setor que impulsiona o país, é possível compreender o porquê milhares e milhares de pessoas dão, diariamente, o melhor de si para que isso seja possível. Confira:

1. O agro movimenta a economia do país

Você sabia que, no Brasil, há mais de 15 milhões de pessoas, segundo o último Censo Agro do IBGE, ocupadas em alguma atividade agropecuária?

Então... o agro tem papel importantíssimo na economia, gerando empregos e contribuindo para o desenvolvimento regional.

Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o setor representa 21,4% do PIB (Produto Interno Bruno) nacional.

Além disso, o agro impacta em outros setores, entre eles, a pesquisa e o ensino. No Brasil, entre 2003 e 2016, houve um crescimento de 46,3% nos gastos com pesquisa e desenvolvimento no setor, de acordo com a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa e Agropecuária)

A Syngenta investe cerca de R$ 1,4 bilhão ao ano em pesquisa e desenvolvimento. Tudo isso para proporcionar ao agricultor as melhores soluções e tecnologias para sua lavoura.

Tais números mostram o comprometimento de quem atua no agronegócio em garantir o fornecimento de alimentos e a geração de emprego e renda no país e no mundo.

2. O agro não é só comida

Quando se fala em agro, automaticamente vem à cabeça a imagem do campo, com produções de soja, café, milho, entre outros grãos.

Essa associação, claro, é pertinente. Afinal, é do campo que vem o alimento para o nosso sustento. No entanto, o agronegócio vai além da alimentação. Ele passa pela produção de insumos até sua comercialização em diferentes vertentes.

É do campo, por exemplo, que vem o algodão, essencial na confecção de roupas e muitos outros produtos que são essenciais em nosso dia a dia.

Considerado a fibra natural mais importante do mundo, devido às suas propriedades naturais, ele também é usado em produtos cosméticos.

Da cana vem o açúcar, indispensável na alimentação humana, e também o etanol, usado nos combustíveis e essencial para que possamos continuar em movimento!

Nessa planta, tudo se aproveita: seu bagaço, por exemplo, é usado por usinas para gerar energia elétrica e, em menor escala, biogás.

O agronegócio também cria oportunidades de intercâmbio com universidades, acesso a estágios e programas de trainees, além de movimentar o setor de logística e transporte, entre outros.

3. O agro pelo Brasil

Num país grande como o Brasil, são diversas as culturas desenvolvidas. O clima tropical impacta positivamente na diversidade da produção nacional.

Entre as culturas de maior destaque estão soja, milho, cana-de-açúcar, café e algodão. Mas você sabe quanto essas culturas são importantes para o desenvolvimento econômico do país?

  • Soja: Hoje, o Brasil está entre os maiores produtores do grão no mundo. Além do consumo interno, em especial para produção de ração animal, a soja é o nosso principal produto exportado. Mato Grosso e Paraná lideram o ranking de produção que, na safra de 2019/2020 deve ter cerca de 126 milhões de toneladas de grãos colhidos em todo o país;
  • Milho: segunda cultura mais importante para a produção agrícola do Brasil, o milho tem alto teor energético e possui uma ampla variedade de aplicações.  Cultivado no país desde o início de sua colonização, e hoje com sua produção mais concentrada na região Centro-Oeste, tem um importante papel na economia. A estimativa para a safra 2019/20, é que o país alcance 102,18 milhões de toneladas colhidas, considerando os dois ciclos do grão;
  • Cana-de-açúcar: com um papel importante para a economia, com as exportações, geração de empregos, e o aquecimento do mercado interno, o Brasil é o maior produtor de cana-de-açúcar em todo o mundo. A cultura, mais concentrada na região Sudeste, tem produção estimada para essa safra de 720 milhões de toneladas processadas;
  • Café: a cultura também coloca o Brasil no topo do ranking dos maiores produtores mundiais. A estimativa é de que o país colha em torno de 60 milhões de sacas na safra de 2020, das quais aproximadamente 45 milhões são da espécie arábica e 15 milhões de sacas de conilon. A região do Cerrado Mineiro é um dos destaques na produção do grão;
  • Algodão: o Brasil figura entre os maiores produtores e exportadores mundiais de algodão, apontada como uma das culturas com maior liquidez e rentabilidade. Com um cenário interno promissor, já que está entre os maiores consumidores de algodão em pluma do mundo, e tendo a região Centro-Oeste como principal produtora, a estimativa é de que o país registre nessa safra a maior produção dentro da série histórica: 2,85 milhões de toneladas

4. O agro em franca expansão

O agro é um dos setores que segue em franca expansão. No ano passado, o setor teve um crescimento de 3,81% no PIB em comparação com 2018, segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq-USP).

E nesse ano, estudos do IBGE em parceria com a Conab apontam para recorde da safra de grãos, atingindo 249 milhões de toneladas, a maior da história.

Neste cenário, as exportações também continuam crescendo. Com isso, o agronegócio, com seus mais de 40 subsetores, segue sendo fundamental para o país.

5. Os maiores produtores agro do mundo

O impacto do agronegócio brasileiro não se restringe apenas à economia doméstica. O Brasil é, hoje, o terceiro maior produtor de alimentos do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos e da China.,

O ranking é completado com a Índia e a Indonésia, mas estes dois países, apesar da sua grande produção agrícola, precisam importar alimentos para suprir as necessidades alimentares de suas gigantescas populações. Vale ressaltar que a China é a maior compradora da soja brasileira.

O que isso significa? Que boa parte da segurança alimentar mundial está relacionada à capacidade brasileira de produzir grãos e oleaginosas.

Por essas e outras razões, nós da Syngenta nos orgulhamos de fazer parte desse setor gigantesco, que movimenta não apenas o nosso país, mas todo o mundo.

O agro nos inspira a levantar todos os dias para ir ao campo para semear, cuidar e colher. E é por essa conexão com você que a Syngenta desenvolve suas soluções.

Afinal, o agro nos conecta, nos desafia e nos move.

LEIA MAIS

NOTÍCIAS

Vários temas são fundamentais para a manutenção da produtividade agrícola. Entre eles, o manejo de pragas, doenças e daninhas e a eficiência de produtos. O Portal Syngenta prepara, constantemente, conteúdos jornalísticos realizados a partir de fontes de informação como engenheiros agrônomos e produtores rurais. Veja ao lado uma seleção dessas reportagens. Boa navegação!